fbpx

Hotel três estrelas em Foz do Iguaçu aposta em “origamis gigantes” para atrair o visitante

Hotel três estrelas em Foz do Iguaçu aposta em “origamis gigantes” para atrair o visitante

Você já ouviu falar sobre Origamis? Bom essa palavra é comum no Japão, que significa arte tradicional de dobrar papel, fazendo representações de animais ou objetos geométricos, sem cortar ou colar o papel. Ok, até aí tudo bem, mas você conhece a história dela? Você sabia que no Brasil existem pessoas que fazem origamis com toalhas? Calma, vou te explicar tim tim por tim tim.

Vamos começar pelos origamis, como disse anteriormente, ele é típico dos japoneses e significa basicamente dobraduras no papel. Conforme foram se desenvolvendo métodos mais simples de fazer papel, o papel foi tornando-se menos caro, e o origami, cada vez mais popular. Ainda assim, as pessoas menos abastadas se esforçavam em não desperdiçar papel; guardavam sempre todos os pequenos papeis, e usavam-nas nos seus modelos de origami.

Durante séculos, não existiram instruções para se criarem os modelos de origami, pois eram transmitidos verbalmente de geração em geração. Esta forma de arte viria a tornar-se parte da herança cultural dos japoneses. 

Em 1797, foi publicado um livro (Hiden Senbazuru Orikata) contendo o primeiro conjunto de instruções de origami para dobrar um pássaro sagrado da Índia. O origami tornou-se uma forma de arte muito popular, conforme indica uma impressão em madeira de 1819 intitulada “Um mágico transforma folhas em pássaros”, que mostra pássaros a serem criados a partir de folhas de papel.

Em 1845, foi publicado outro livro (Kan no mado), que incluía uma coleção de aproximadamente 150 modelos de origamis. Este livro introduzia o modelo do sapo, muito conhecido hoje em dia. Com esta publicação, o origami espalhou-se como atividade recreativa no Japão.

Não seriam apenas os Japoneses a dobrar o papel, mas também os Mouros, no Norte de África, que trouxeram a dobragem do papel para Espanha na sequência da invasão árabe no século VIII. Os mouros usavam a dobragem de papel para criar figuras geométricas, uma vez que a religião proibia-os de criar formas animais. Da Espanha, espalhou-se para a América do Sul. Com as rotas comerciais terrestres, o origami entrou na Europa e, mais tarde, nos Estados Unidos.

Origami no Brasil:

Agora que você já conhece um pouco da história dos origamis, vou te contar algumas curiosidades dessa arte aqui no Brasil. No nosso país, existem pessoas que transformaram o origami (que é uma arte), em negócio, sim! Porque não? A ideia é genial e é super útil, pois além de ganhar uma grana extra, que não tá fácil nos dias de hoje, você acaba meditando e relaxando.

Confesso que no começo você tem que ter um pouco de paciência, pois essa coisa de dobrar e desdobrar é meio complicado, mais depois você vai pegando um pouco de prática e aprende rapidinho a fazer o seu origami. Voltando aos negócios com origamis. No Tarobá Hotel as camareiras fazem os origamis com as toalhas, deixando encima das camas dos hóspedes, não é genial essa ideia? Um origami gigante feito em toalha. Só é uma pena que depois tem que desmanchar essa arte. 

%imagem-1%


Os origamis são tão pedidos no Tarobá Hotel, que essa arte de fazer as dobraduras nas toalhas foram passando de camareira por camareira até todas aprenderem a fazer. Como eu disse, no começo é meio difícil, mas depois que você pega o jeito faz até uma arara azul. 

O Tarobá Hotel está sempre se inovando, e essa técnica de entrar no quarto e ter um origami de toalha encima da sua cama é exclusividade do melhor hotel três estrelas de Foz do Iguaçu.

%imagem-2%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 11 =

0
    0
    Carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar para loja