Fórum Mundial de Meio Ambiente firma compromissos em Foz



Compartilhe este conteúdo com seus amigos

Fórum Mundial de Meio Ambiente firma compromissos em Foz


Participantes terão missão de zerar o desmatamento ilegal da Mata Atlântica

 

Qual seria sua reação ouvindo a seguinte frase: “Em quatro mil anos de civilização, formamos uma população de três bilhões e meio de pessoas nas áreas urbanas. Mas, este número irá dobrar em apenas quatro décadas”. É muito assustador não é mesmo?

 

Ainda mais, quando você para e pensa que a probabilidade de estar vivo em 2055 é gigantesca (ou a menos, os futuros herdeiros). E logo, outra reflexão paira no ar. O que estou fazendo, para melhorar este mundão de meu Deus, para mim e para os meus filhos?

 

Foi este o foco do 6º Fórum Mundial de Meio Ambiente, realizado entre os dias 25 e 26 em Foz do Iguaçu, no hotel Mabu. Durante evento, algumas medidas foram discutidas, como por exemplo, o compromisso para zerar o desmatamento ilegal da Mata Atlântica, já que mais de 93% da floresta já não existe mais.

 

“O fórum foi muito positivo. Este encontro procura construir a agenda da convergência. É um evento que busca deixar um legado de ações a serem executadas nos próximos anos. Já construímos até projetos de leis, como é o caso da lei de resíduos sólidos”, disse o presidente do LIDE, João Doria.

 

Este ano, o Fórum Mundial de Meio ambiente falou sobre as mudanças climáticas. “O evento, como é de praxe, evolui a cada ano. E, principalmente, na geração de conteúdo. Para o ano que vem, ainda não temos um tema definido, mas, percebemos que as pessoas se motivam muito com algo que elas podem por a mão. As cidades, por exemplo, é uma coisa que afeta a todos. Então, acredito que o tema deste ano foi bem escolhido, a resposta do público foi muita boa. Por isso, creio que temos que pensar para 2016 temas que gerem este tipo de participação”, explicou o presidente do LIDE Sustentabilidade, Roberto Klabin.

 

Para a organização, Foz do Iguaçu tem grandes chances de sediar o evento novamente no ano que vem. “Não sou eu que decido, mas, este lugar tem tudo haver com a nossa proposta. A cidade reúne água, mata atlântica, turismo, uma situação internacional com três países, ou seja, Foz tem muita coisa boa para se trabalhar”, falou Klabin. “Nós vamos conversar com o governador. É certo que iremos realizar a sétima edição, entretanto, se for em Foz será ainda melhor”, finalizou Doria.

 

Foto: Lauane de Melo


Desenvolvido por: BitStorm ®

Aguarde